Empreendedores de sucesso

Economia criativa: 10 empreendedores de sucesso na área 💼

Há um bom tempo a Economia Criativa já movimenta grandes quantias de dinheiro ao redor do mundo. 

A cada ano, jovens empreendedores saem do “lugar comum” e buscam formas de sucesso através de seus conhecimentos e talentos artísticos.

E a boa notícia é que o mercado se mostra bastante promissor.

Quer entender sobre a Economia Criativa e conhecer exemplos de empreendedores de sucesso por meio da arte? 

Então, continue lendo e confira a postagem que preparamos para você!

Economia criativa: oportunidades para empreendedores de sucesso

Em seu livro sobre a economia criativa, o inglês John Howkins apresentou o Audiovisual, o Cinema, as Artes e outros setores ligados à criatividade artística como grandes oportunidades de negócio dos tempos atuais.

Segundo Howkins, é possível criar novas ideias e render grandes quantias fora do empreendedorismo clássico – aquele que objetiva à criação de produtos “magníficos e espetaculares”.

A visão do inglês mostra-se completamente correta quando analisamos que a economia criativa já representa mais de 7% do PIB global – segundo o Global Entrepreneurship Monitor (GEM).

Conheça empreendedores de sucesso na área

Muito melhor que apontar números, é conhecer quem investiu em estudos e nas competências artísticas e conseguiu alcançar o sucesso, não é mesmo?

Então, conheça 10 exemplos de empreendedores da economia criativa.

1. Rayani Imediato e Mabel Cezar: SBD

Rayani Imediato e Mabel Cezar são as criadoras da Sociedade Brasileira de Dublagem (SBD), um empreendedorismo dentro do mundo das artes que vai além da dublagem. A ideia das fundadoras com o SBD é oferecer algo que complete a jornada dos alunos, por isso a escola trabalha de forma mais dinâmica e criativa.

Além da dublagem, é claro, a SBD ensina seus alunos a produzir vídeos e áudios para divulgarem seus trabalhos para o público, a fim de facilitarem o caminho após a formação na escola.

2. Fernando Meirelles: Estúdio 02

Falar de Fernando Meirelles é lembrar-se do aclamado filme “Cidade de Deus” – “Dadinho não, meu nome agora é Zé pequeno”. Porém, muito antes desse grande sucesso, ainda na década de 90, o diretor criou a empresa 02.

O estúdio paulistano é um dos exemplos de sucesso na economia criativa, mantendo um ótimo faturamento com publicidade e lucrando alto através dos seus filmes e outras produções, entre eles, Cidade dos Homens e À Deriva.

3. Cláudio Torres e Lula Buarque: Conspiração Filmes

Graças à Conspiração Filmes, Cláudio Torres e Lula Buarque se tornaram outros bons exemplos de empreendedores que alcançaram o sucesso no mundo das artes. Trabalhando em diferentes frentes da economia criativa, como Cinema, TV e Literatura, a empresa atingiu o status de grande negócio, mesmo sendo independente.

Essa diversidade é uma marca dos seus fundadores, artistas que viram na Conspiração Filmes uma maneira de ganhar dinheiro utilizando ideias criativas e inovadoras. Atualmente, a empresa tem sede em diferentes cidades da região Sudeste, tais como:

·         Rio de Janeiro;

·         São Paulo;

·         Betim.

4. Vânia Catani: Bananeira Filmes

Vânia Catani é uma artista que se destaca logo de cara por ser membro da academia norte-americana e responsável por cuidar da produção do Oscar. Mas antes de brilhar em Hollywood, a brasileira criou a Bananeira Filmes – anos 2000.

A empresa é uma das poucas do setor audiovisual brasileiro que se dedica exclusivamente ao cinema. A veia do empreendedorismo da Bananeira Filmes está ligada a projetos independentes, sejam curtas-metragens, longas ou documentários.

5. Lucy, Luiz Carlos e Paula Barreto: LC Barreto Filmes

Nascidos no Rio de Janeiro, um dos berços artísticos no Brasil, os irmãos Lucy, Luiz Carlos e Paula Barreto viram na arte uma oportunidade de carreira. E assim nasceu a LC Barreto.

O trio investiu tão forte na economia criativa que a sua empresa alcançou um progresso internacional. Responsável por sucessos brasileiros como “O Quatrilho” e “Dona Flor”, o estúdio tem projetos em desenvolvimento no Equador, bem como escritórios espalhados pela América Latina.

6. Danilo Carvalho, Ivo Lopes Araújo: Alumbramento

O empreendedorismo de sucesso nas artes no Brasil vai além do eixo Rio-São Paulo, e o sucesso de Danilo Carvalho e Ivo Lopes com o estúdio Alumbramento é prova disso. Criando a empresa em 2006, ao lado de outros jovens artistas de Fortaleza, eles se destacaram rapidamente na cena com curtas-metragens.

Com uma pegada independente e forte senso político em suas produções, a Alumbramento viu o seu filme “Estrada Para Ythaca” ser premiado no ano de 2010, no Festival de Cinema de Tiradentes.

Em 2019, a empresa ainda lançou mais um longa-metragem em parceria com a Bananeira Filmes, o Último Trago.

7. Ibirá Machado e a Beatriz Seigner: Descoloniza Filmes

A ideia de se destacar fora do mainstream é um dos objetivos e também um dos grandes desafios de empreendedores da arte. Afinal, sair do lugar comum e atrair o público-alvo é o sonho de muitos artistas.

Tudo fica mais simples quando outros empreendedores como a Ibirá Machado e a Beatriz Seigner, fundadoras da Descoloniza Filmes, pavimentam o caminho. Criada nos 2000, a distribuidora de filmes foca em produções dirigidas por mulheres e com temáticas que contribuam para o fortalecimento de uma nova forma de pensar.

Alcançando o sucesso como distribuidora, a Descoloniza Filmes age como uma “flecha” para impulsionar o trabalho de artistas que abraçam essa pegada crítica dentro de seus filmes e produções.

8. Maria Augusta V. Nunes, Cíntia Domit Bittar e Ana Paula Mendes: Novelo Filmes

Sendo mais um empreendedorismo artístico de sucesso fora do eixo Rio-São Paulo, a empresa catarinense Novelo Filmes foi fundada pelas artistas Maria Augusta V. Nunes, Cíntia Domit Bittar e Ana Paula Mendes.

Mesmo com pouco tempo em ação, as artistas viram o seu longa “Quebranto” ser premiado no festival Catarinense de Cinema do ano de 2014. E ainda que estejam fora dos grandes círculos artísticos nacionais, as três conseguem manter a produtora de forma independente, angariando recursos através de publicidade de outras empresas.

9. Lúcia Murat: Taiga Filmes

Lúcia Murat teve a ideia e fundou a Taiga Filmes muito antes do inglês John Howkins criar o termo. Em plena atividade desde a década de 80, a artista está há quase 40 anos criando produções para tv e cinema dentro da sua empresa.

Entre os seus maiores sucessos está a série “Testemunho”, que conta a vida de personagens importantes da história brasileira.

10. Carlos Reichenbach, Sara Silveira e Maria Ionescu: Dezenove

Nos anos 90, Carlos Reichenbach, Sara Silveira e Maria Ionescu se juntaram e criaram a empresa Dezenove, mais um empreendedorismo que conseguiu romper as barreiras geográficas por meio do setor artístico brasileiro.

Embora conte com trabalhos importantes no âmbito nacional, o estúdio dos três artistas se notabilizou por produzir curtas, videoclipes e longas para o mercado internacional, principalmente América Latina e Europa.

Enfim, esses foram apenas alguns dos vários empreendedores de sucesso do cenário artístico nacional. A lista só corrobora com o estudo feito pelo British Council em parceria com o Sebrae, que destacou o Brasil como uma das principais potências mundiais na economia criativa.

Quer se juntar ao grupo de empreendedores de sucesso da economia criativa?

Nosso país possui muito espaço para seu crescimento artístico, mas é claro que você precisa se preparar através de um ensino superior em uma faculdade de renome. 

Com a graduação de nível superior, o caminho para o empreendedorismo de sucesso no mundo das artes fica muito mais fácil. Então corra, faça sua matrícula e inicie a sua jornada no mundo artístico o quanto antes.

Gostou do artigo? Cadastre-se em nossa newsletter, na caixa que fica logo depois do texto, e receba as principais novidades por e-mail.

Postar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.