repórter

Repórter: conheça mais sobre essa profissão 🎤 📹 📝

Trabalhar como repórter é uma das oportunidades de carreira que um profissional formado em Jornalismo tem. 

O repórter é o responsável por buscar conteúdos interessantes para os veículos de comunicação, realizar entrevistas, fazer investigações, coletar materiais e repassar as notícias para o público.

É possível atuar como repórter em jornais e revistas, portais de notícias, emissoras de rádio e TV, entre outros veículos de comunicação. 

A profissão é bem interessante e pode ser um caminho a ser seguido por você, que está cursando ou pensa em fazer o curso superior em Jornalismo.

Surgimento da profissão de repórter

Basicamente, a profissão de repórter surgiu junto com a imprensa. Em 1442, o metalúrgico alemão Johannes Gutenberg criou a prensa tipográfica, uma máquina que era capaz de fazer impressões em larga escala.

Com esse equipamento, foi possível produzir jornais e os primeiros periódicos começaram a ser publicados. Ou seja, teve início a demanda por reportagens e, consequentemente, a profissão de repórter surgiu.

Antigamente, o mercado de trabalho para os repórteres era bastante restrito aos grandes jornais e emissoras de TV e rádio. Atualmente, com a popularização da internet e dos veículos de comunicação independentes, há mais demanda para esse profissional.

No Brasil, o Dia do Repórter é celebrado no dia 16 de fevereiro. A data visa homenagear a importância desse profissional para manter a população sempre bem informada sobre o que acontece no mundo.

O dia a dia de um repórter

Os repórteres têm rotinas bem variadas, uma vez que trabalham entrevistando diferentes pessoas e locais. Além disso, os acontecimentos repentinos podem mudar completamente o dia a dia do profissional.

Imagine, por exemplo, que um grave acidente ocorra em uma das principais vias de uma grande cidade, comprometendo todo o trânsito. 

Nesse caso, um repórter, que tinha planejado outras atividades, precisa largar tudo o que está fazendo e ir cobrir esse acontecimento. Isso porque esse tipo de fato é considerado de grande relevância para o público.

Vale notar também que o dia a dia do repórter pode variar de acordo com a editoria em que ele trabalha. Geralmente, os veículos de comunicação dividem os profissionais da reportagem em departamentos.

A editoria geral, por exemplo, apura os acontecimentos gerais que acontecem na área de cobertura do veículo. O repórter de política acompanha as notícias que envolvem os políticos e os governos.

Os jornalistas que atuam como repórteres esportivos são aqueles que fazem a cobertura dos jogos de futebol e outros esportes. Quem atua na editoria de celebridades, acompanha os acontecimentos da vida dos famosos, entre outros exemplos.

6 repórteres de sucesso no Brasil

Se você pensa em seguir a carreira de repórter, é sempre importante ter nomes como referência, para que você possa se inspirar. Por isso, fizemos uma lista com profissionais reconhecidos nessa área. 

Bora conhecer alguns repórteres de sucesso no Brasil? Então, é só continuar lendo!

1. Glória Maria

É bem provável que você já tenha visto algum meme da Glória Maria, não é mesmo? Afinal, as reportagens inusitadas da jornalista sempre fazem sucesso nas redes sociais.

A atuação de Glória Maria no campo da reportagem, no entanto, antecede muito a popularização da internet no Brasil.

Ela trabalha na Rede Globo desde a década de 1970, quando começou a atuar como estagiária do Jornal Nacional. A jornalista se destacou e logo começou a ser escalada para grandes reportagens nos programas e telejornais da emissora.

Atualmente, Glória Maria é apresentadora e faz reportagens para o Globo Repórter, um dos principais programas jornalísticos da Rede Globo.

2. Caco Barcellos

O jornalista Caco Barcellos começou a sua carreira de repórter em jornais impressos de sua cidade natal, Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Entre outros veículos, ele trabalhou na extinta Folha da Manhã.

Ao se mudar para o Rio de Janeiro, trabalhou como repórter para revistas conhecidas, como a Veja e a IstoÉ. Também escreveu livros-reportagem, o que o tornou bastante conhecido nesse segmento.

Nos anos 2000, foi contratado pela Rede Globo e começou a atuar como correspondente internacional da emissora em Nova York. Ou seja, ele fazia reportagens internacionais para os programas do canal.

Desde 2008, comanda o Profissão Repórter, um programa em que faz reportagens com uma equipe de jovens jornalistas, mostrando diferentes ângulos de um mesmo acontecimento.

3. Roberto Cabrini

Quando falamos em jornalismo investigativo, um dos primeiros nomes que nos vem à cabeça é o de Roberto Cabrini. O profissional passou por diversos jornais e emissoras de TV. Ele empre se destacou pela forma como apura os acontecimentos com profundidade.

A experiência de Cabrini na reportagem é muito grande! Para você ter uma ideia, ele já cobriu mais de seis conflitos internacionais, como a Guerra no Afeganistão. Também já noticiou os fatos de cinco Olimpíadas e realizou reportagens em mais de 60 países.

Atualmente, Roberto Cabrini é contratado da Record TV e faz reportagens para os programas Domingo Espetacular e Repórter Record Investigação.

4. Lisa Gomes

Lisa Gomes se destaca por ser uma das primeiras repórteres transexuais a ganhar destaque em um grande grupo de comunicação. 

Desde 2013, a jornalista é contratada da RedeTV! e faz coberturas de eventos e acontecimentos da vida dos famosos para o programa TV Fama.

Além disso, Lisa também é apresentadora do portal Climatempo, onde apresenta a previsão de surgimento de arco-íris no céu das grandes cidades. Essa foi uma forma que um dos principais veículos do campo da meteorologia no Brasil encontrou para abraçar a causa LGBTQI+.

Lisa também tem se destacado fazendo entrevistas com famosos em seu canal no YouTube, o “Lisa, Leve e Solta”.

5. Foquinha

E, se você gosta de consumir conteúdo de entretenimento na internet, já deve ter assistido algum vídeo ou lido alguma reportagem produzida pela Fernanda Rocha Catania, ou simplesmente, Foquinha.

A jornalista ganhou destaque ao trabalhar nas revistas Rolling Stone Brasil e Capricho, cobrindo acontecimentos da cultura pop, como notícias da música e do cinema.

Em 2015, Foquinha abandonou um cargo de destaque na revista Capricho e criou o seu próprio canal no YouTube. O sucesso na plataforma de vídeos fez com que ela começasse a receber convites também para a televisão.

Atualmente, além do YouTube, Fernanda é repórter do canal Multishow, onde já atuou entrevistando artistas em grandes eventos da música, como o Rock in Rio.

A jornalista também tem um quadro fixo na Netflix, onde faz reportagens sobre a relação entre as empresas e influenciadores no desenvolvimento de conteúdo.

6. Mari Palma

A jornalista Mari Palma começou a sua carreira como estagiária do portal G1. Quando concluiu o estágio, permaneceu no veículo, passando a integrar a equipe de mídias sociais.

Em 2015, ganhou visibilidade nacional ao apresentar as principais reportagens do portal G1 em programas da Rede Globo. Com o quadro G1 em 1 Minuto, ela fazia entradas ao vivo durante a programação.

O jeito espontâneo e descontraído de Mari Palma trazer as notícias fez com que ela caísse no gosto do público. Atualmente, ela é repórter e apresentadora do programa CNN Tonight, na CNN Brasil.

7 dicas para se tornar um repórter de sucesso

Depois de conhecer esses profissionais incríveis, você deve ter ficado com ainda mais vontade de seguir a carreira de repórter, não é mesmo?

Para ter sucesso nessa profissão, você precisa estudar e se preparar. Quer saber como? Então, se liga nas nossas dicas!

1. Faça a graduação em Jornalismo

Para atuar como repórter, fazer uma graduação em Jornalismo é fundamental. No decorrer desse curso, o estudante aprende a apurar as notícias e trabalhar com a comunicação de forma diversificada, produzindo conteúdo para os diferentes tipos de mídia.

No curso de Jornalismo da Belas Artes, o aluno recebe a formação completa para atuar como repórter. Além disso, conta com uma excelente infraestrutura, como o laboratório de imagem e som, onde pode fazer gravações com câmeras profissionais e usar ilhas de edição.

Os alunos do curso de Jornalismo também podem usar o Laboratório de Design e Experiências Imersivas (IMEX).

O curso de Jornalismo da Belas Artes tem duração média de quatro anos, com as disciplinas distribuídas em oito semestres.

2. Treine a comunicação

O repórter precisa ter uma comunicação excelente, principalmente se atuar em frente às câmeras. É necessário aprender a dialogar bem com as outras pessoas e respeitar os turnos de fala, para não “atropelar” o que um entrevistado está dizendo, por exemplo.

Além disso, é importante saber adaptar o discurso para o público interlocutor. Se você entrevistar um médico, por exemplo, e ele usar vários termos técnicos durante a entrevista, ao publicar a reportagem, convém “traduzir” o que foi dito para palavras simples.

Também treine bastante a sua dicção e oratória, para que consiga se expressar bem e fazer com que as suas mensagens sejam facilmente compreendidas por todos.

3. Acompanhe o trabalho dos repórteres

Se você pretende se tornar um repórter de sucesso, uma boa prática é acompanhar o trabalho de quem já atua nessa área.

Para isso, basta você assistir aos telejornais, ler reportagens na internet etc. A ideia é que você possa ir pegando “as manhas” da profissão e ver como os repórteres atuam.

repórter redação

4. Tenha cuidado com as opiniões pessoais

O jornalista assume um compromisso com a verdade e com a ética profissional. Por isso, o repórter precisa ter cuidado para não transmitir as suas opiniões pessoais sobre os acontecimentos que cobre.

O objetivo do trabalho do repórter é apresentar as informações ao público de forma clara. É a partir disso que as pessoas devem formar as suas próprias opiniões sobre os fatos.

5. Aprenda a ouvir os dois lados das histórias

Todas as histórias têm diferentes versões e os repórteres sempre devem ouvi-las, evitando tomar partido para algum lado da situação.

Imagine, por exemplo, que os funcionários públicos de uma cidade estão em greve, reivindicando melhorias em seus trabalhos. 

Nesse caso, o jornalista deve ouvir todas as partes envolvidas no fato. O repórter pode entrevistar alguns representantes dos servidores, como os líderes dos sindicatos, e também o pessoal da prefeitura, como o prefeito e seus secretários. 

6. Seja curioso e saiba contar histórias

Um bom repórter é aquele que tem curiosidade para desvendar histórias e acontecimentos, além de saber contá-los ao público. 

Ou seja, se você deseja seguir essa profissão, desde já precisa praticar a sua narrativa. Só assim vai conseguir transmitir as informações de forma clara e convincente.

Um exercício bem interessante de ser feito é escrever um diário, reportando aquilo que aconteceu durante o seu dia.

7. Treine a sua escrita

O repórter também precisa escrever muito bem. Principalmente se trabalhar com reportagens escritas, em jornais, revistas ou portais de notícias.

Por isso, estudar ortografia, gramática e técnicas de redação nunca é demais para quem deseja seguir carreira na área.

Nesse mesmo sentido, também é interessante que você adquira conhecimentos em SEO, sigla para Search Engine Optimization. São técnicas que fazem com que os textos sejam melhor indexados pelo Google.

Ao conhecer sobre SEO e aplicar as técnicas em seus textos, as reportagens que você produz chegarão a mais pessoas.

Se você chegou até aqui na leitura deste texto, já sabe bastante sobre a profissão de repórter. Essa é uma área promissora, mas é preciso estudar muito e se esforçar para se destacar no segmento.

O repórter também precisa ficar de olho nas tendências de mercado e mudanças que ocorrem na profissão. Para que você se prepare nesse sentido, desenvolvemos o Guia do Profissional de Comunicação do Futuro. Baixe agora mesmo e veja como se tornar uma referência no segmento!

Postar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.