Designer de Games

8 áreas de atuação para o designer de games 🎮

Já pensou em unir a sua paixão por jogos com uma carreira promissora? É isso o que faz o designer de games!

Segundo a 18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2017-2021, o Brasil é o grande polo de games da América Latina. Além disso, ocupa o 13º no ranking global do setor.

A partir disso, fica mais fácil entender a importância da profissão nos dias de hoje.

Mas o que um designer de games realmente faz? E quais são as opções de atuação na área?

É o que você vai descobrir logo abaixo. Continue lendo!

O que faz um designer de games?

O designer de games pode ter diferentes funções no processo de desenvolvimento de um jogo. Ou seja, assume vários papéis, deste a etapa de criação até o lançamento.

Por isso, é bom que ele saiba de tudo um pouco:

  • algoritmo e programação;
  • roteiro;
  • animação;
  • criação de narrativa;
  • sound design;
  • linguagem fotográfica;
  • ergonomia;
  • level design;
  • modelagem;
  • e até marketing.

A partir desses conhecimentos, o designer de games consegue ter uma visão ampla do funcionamento de um jogo. E de como os diferentes elementos se encaixam entre si para dar vida a um game.

Ele planeja a interface, os aspectos interativos e mecânicas dos jogos, sempre pensando no público. Afinal, devem ser interessantes, a ponto de engajar e divertir os jogadores.

De uns tempos para cá, a lógica dos jogos passou a ser usada com diferentes propósitos. Isso ajudou a posicionar o designer de games entre as profissões do futuro.

Além dos jogos de entretenimento, esses profissionais também desenvolvem jogos educativos e para o mundo corporativo.

Onde o designer de games pode trabalhar?

O mercado de trabalho para quem se forma na área é bem amplo. Além de poder assumir diferentes funções, o designer de games consegue trabalhar em vários lugares.

Os estúdios de jogos e empresas de desenvolvimento costumam oferecer boa parte das oportunidades.

Mas também é possível trabalhar em:

  • agências de publicidade;
  • agências de mídia digital;
  • empresas de treinamento corporativo;
  • instituições de ensino;
  • e abrir o próprio negócio.

8 áreas de atuação para o designer de games

Se você tiver um bom nível de qualificação profissional, vai dar de cara com um mundo de possibilidades no mercado de games.

Confira a seguir quais são as principais áreas de atuação. Quem sabe você não se identifica com alguma delas?

1. Roteiro

Os jogos mais complexos costumam ter toda uma história elaborada por trás. É o pano de fundo onde tudo acontece, que faz os objetivos fazerem sentido.

Algumas pessoas se formam em design de games e se apaixonam pela área.

Quem decide trabalhar como roteirista de jogos precisa se esforçar para criar uma história envolvente e impactante. A trama é um dos elementos que insere o jogador na experiência.

2. Programação

Quem constrói a estrutura dos jogos são os programadores. O que eles fazem é pegar o projeto e desenvolver as funcionalidades, ou seja, é a etapa em que o game nasce.

As pessoas que se especializam em programação precisam dominar os códigos e linguagens para fazer o jogo acontecer. Cada detalhe é matematicamente calculado pelos programadores.

Eles também ficam de olho nos códigos para resolver qualquer erro que aparecer.

Designer de Games - mercado

3. Animação

Para os personagens e objetos dos jogos ganharem vida, o trabalho dos animadores é fundamental. Eles atuam lado a lado com os programadores.

A área usa diversas técnicas digitais de captura de movimento para criar as melhores sequências.

É uma etapa muito importante do desenvolvimento de um game, pois tem o objetivo de deixar os detalhes o mais próximos possível do real.

4. Design de Games

A galera que trabalha como designer de games assume um papel de “gestor” dos projetos de jogos. Ou seja, a responsabilidade é grande!

Se quiser trabalhar na área, você vai precisar saber um pouco de tudo e entender como funciona cada etapa de desenvolvimento.

Além de criar o projeto inicial, o designer de games fica encarregado de garantir o alinhamento entre os trabalhos das diferentes equipes.

5. Sound design

Toda a parte de som dos jogos é responsabilidade dos times de sound design. Pode parecer um simples detalhe, mas quem joga sabe o quanto os sons fazem diferença.

Os profissionais da área cuidam da escolha da trilha sonora, inserem a dublagem, os sons ambientes.

Para isso, precisam captar, manipular e gerar elementos de áudio digitais para cada game.

6. Design de personagem e cenário

Há ainda quem cuide especificamente do desenvolvimento dos personagens e dos gráficos.

Isso significa que esses profissionais precisam pensar em detalhes como: paleta de cores, anatomia dos personagens, estilização etc.

É claro, tudo isso sempre tendo em mente a temática do jogo para que o todo faça sentido para os jogadores.

7. Produção executiva

Os produtores executivos são aqueles que ficam nos bastidores dos projetos. Isso porque eles não trabalham com a criação do jogo.

Na verdade, o que eles fazem é coordenar a produção das desenvolvedoras.

Além disso, os produtores são responsáveis por calcular os orçamentos e aplicar táticas para vender os games para grandes estúdios.

8. Teste

O game tester é quem, de fato, testa um novo jogo. Além de avaliar as técnicas de jogabilidade, ele vai ver se tudo está funcionando direito.

Uma parte importante desse trabalho é identificar os bugs. Assim, os erros podem ser corrigidos antes de o game ser lançado no mercado.

Parece o emprego dos sonhos para quem ama jogar, não é? 

A diferença é que o propósito não é só se divertir, mas fazer uma avaliação crítica e detalhada, com base em conhecimento técnico.

Já sabe em qual área gostaria de trabalhar?

Caso você decida tomar um rumo profissional como designer de games, vai se deparar com todas essas possibilidades – e, até lá, talvez outras mais.

Seja qual for a área que você escolher, as suas chances de se dar bem aumentam se você fizer uma boa faculdade para se qualificar.

Aposte todas as fichas no futuro dos seus sonhos! 

Siga a Belas Artes no Instagram e Facebook para acompanhar conteúdos interessantes para a sua carreira.

Postar comentário