Crise econômica

Crise econômica: como superar os principais desafios 💪

De uma forma ou de outra, a crise econômica afeta a vida das pessoas. Para quem está começando a carreira agora, os impactos são bem particulares.

Além de trazer desafios, talvez eles façam você repensar os seus planos e expectativas para os próximos anos.

Essa onda de replanejar também força sobretudo a galera mais jovem a se preparar para as novas demandas do mercado. Afinal, o contexto define o que é prioridade.

Mas como lidar com tudo isso?

É o que você vai descobrir aqui no post. Continue lendo!

Desafios da crise econômica para quem está no início da carreira

Passar por uma crise econômica logo no começo da vida profissional é o que ninguém espera. Como tudo é novidade, fica complicado ter um parâmetro, saber qual decisão tomar, que caminho seguir.

A primeira coisa que você deve fazer é entender o que está rolando no mercado de trabalho. E, claro, quais são os desafios do momento.

Menos oportunidades de trabalho

Faz um tempo que a economia não anda tão bem por aqui. Mesmo antes de estourar a crise na saúde pública, o desemprego já era um problema para o país.

Por conta dos impactos financeiros, muitas empresas são obrigadas a demitir e adiar a contratação de novos funcionários. 

Quem sente mais as consequências dessas decisões são os jovens e os trabalhadores menos qualificados.

Como no Brasil o nível de qualificação costuma ser baixo, aqueles que fizeram ensino superior tem 50% menos chances de ficarem desempregados

Uma diferença gigantesca, não é?

Pouca experiência de mercado

Em tempos difíceis, a falta de experiência profissional é outro desafio para os que estão começando a carreira.

Isso porque dá para encontrar um perfil médio mais facilmente. Além disso, se a empresa tiver que demitir, a rescisão de quem tem menos “tempo de casa” é menor.

Para não ser pego por essa situação, você precisa se diferenciar dos outros.

Ter um diploma de ensino superior é essencial, mas não é suficiente. Sendo assim, é necessário buscar outras formas de dar um up no currículo e se destacar para valer.

Falta de segurança

Outra coisa que pesa na vida de quem está entrando agora no mercado é a insegurança. Afinal, a maioria gostaria de ter um emprego legal, carteira assinada, direitos garantidos.

Porém, o que a gente tem visto na crise é o contrário, ou seja, uma maior flexibilização das relações trabalhistas.

Essa flexibilização impulsionou ainda mais novos modelos de trabalho que já estavam crescendo bastante. 

Muitos jovens estão dando os primeiros passos na jornada profissional como freelancers, autônomos e empreendedores.

8 dicas para superar a crise econômica

1. Seja o melhor profissional possível

Sabendo que as vagas estão super disputadas, você precisa dar o seu máximo para conseguir as melhores oportunidades.

Agora não dá para ser só mais alguém em busca de trabalho ou de uma promoção.

Portanto, faça uma graduação em uma faculdade de excelência, invista em cursos relacionados a sua área, estude outros idiomas, desenvolva novas skills, etc.

2. Dê as caras

Tão importante quanto buscar oportunidades é tentar ser visto por quem interessa. Isso porque as melhores vagas nem chegam a ser divulgadas.

As próprias empresas vão atrás de indicações e do perfil certo, que se encaixe perfeitamente no que elas esperam.

Por isso, mantenha seu LinkedIn atualizado, participe de grupos de profissionais nas redes sociais, debates sobre o mercado. Em resumo, tenha contato com quem pode contratar você.

Crise econômica - como superar

3. Abra a sua cabeça

Mais do que nunca, você não pode ficar preso aos modelos de trabalho que já conhece.

As profissões estão sendo reinventadas para se adaptar às novas necessidades. E você deve estar com a mente aberta para se reinventar junto.

4. Desenvolva sua concentração

Grande parte das pessoas hoje tem problemas para manter o foco. A influência da tecnologia e a própria dinâmica do dia a dia dificultam a concentração.

Como consequência, a produtividade cai.

Nos dias de hoje, quem rende bem no trabalho se destaca. Isso pesa ainda mais no home office, pois tem mais valor quem faz o que precisa ser feito sem precisar ser cobrado.

5. Cultive o networking

Para o networking funcionar em seu favor, você precisa cultivar os seus contatos. E o que isso quer dizer?

Ser do tipo que aciona os outros só quando precisa é péssimo para a sua imagem.

Sendo assim, mantenha contato com as pessoas para falar sobre o que você anda fazendo e esteja disponível para elas também.

6. Conheça as profissões do futuro

Não há dúvidas que as pessoas devem fazer o que gostam. Mas você já deu uma pesquisada nas profissões do futuro para saber se alguma delas tem a sua cara?

Começar a carreira em áreas que estão crescendo, mesmo com a crise, aumenta suas chances de se dar bem.

Como essas áreas oferecem mais oportunidades, os desafios acabam sendo menores.

7. Aprimore as soft skills

Além dos conhecimentos mais técnicos, as soft skills – ou competências comportamentais – são muito valorizadas no mercado.

Entre as principais estão, por exemplo, a resiliência, liderança, orientação para resultados, flexibilidade, colaboração.

Se você conseguir dar um check em todas essas características, já está saindo na frente.

8. Saiba aproveitar a autonomia

Autonomia no mundo do trabalho inclui saber gerir o próprio tempo, priorizar as urgências e entregar as tarefas sem ninguém ficar no pé.

Coisas aparentemente simples, mas que muita gente tem dificuldade.

Ainda, é uma habilidade que ajuda você a resolver problemas e adquirir conhecimento por conta própria.

Arregace as mangas!

É claro que todo mundo quer que a crise econômica acabe e o cenário melhore. Como não dá para ficar esperando sentado, faça o que estiver ao seu alcance.

Coloque essas dicas em prática sem deixar de acompanhar as novas mudanças do mercado. Assim, você fica o mais preparado possível para conquistar o seu espaço.

A gente também dá uma força nessa missão! 

Faça seu cadastro na newsletter da Belas Artes logo abaixo para receber as novidades mais quentes no seu e-mail.

Postar comentário