Estudar design no exterior: preciso de um curso de inglês ou posso estudar fora?

Estudar design no exterior: preciso de um curso de inglês ou posso estudar fora?
21 de março de 2018 Belas Artes

O intercâmbio é um dos sonhos de muitos jovens. A experiência vivenciada em outro país é muito valorizada, especialmente no futuro da vida profissional. E quem tem uma formação no exterior no currículo pode sair na frente dos demais.

Na área de design (seja qual for o seu tipo: gráfico, design de produto, de moda etc.), isso poderá ser ainda mais incrível. Especialmente se a experiência for vivida em países considerados líderes em avanços tecnológicos e inovações no design.

Mas será que, para fazer uma graduação no exterior, você precisa falar inglês? Se você tem o sonho de estudar design no exterior, acompanhe o nosso post para esclarecer essa e outras dúvidas sobre o tema.

Os testes de proficiência para estudar design no exterior

Quando falamos em intercâmbio, abre-se um leque grande de opções. Nem todo intercâmbio exige que a pessoa vá ao outro lugar sabendo o idioma do país de destino. Existem até mesmo intercâmbios feitos para aprender o idioma local, uma ótima opção de imersão e contato com a língua e a cultura.

Porém, quando o assunto é curso de graduação, pós-graduação ou mestrado, a coisa muda de figura. Uma das exigências para estudar design no exterior (ou qualquer outro curso), em uma faculdade ou universidade, são os testes de proficiência. Ou seja, não é que você precise apenas falar inglês, mas também será conveniente provar o bom conhecimento da língua.

Cada instituição poderá exigir um certificado diferente, com uma pontuação mínima necessária para a admissão no curso que você deseja. Um dos testes mais conhecidos é o TOEFL (Test of English as a Foreign Language), que é pedido especialmente por faculdades nos Estados Unidos e no Canadá.

Já na Europa, um dos mais exigidos é o IELTS (International English Language Testing System), promovido pelo consulado britânico em parceria com a Universidade de Cambridge. Todos os testes exigem certo dispêndio financeiro e alguns possuem data de validade.

estudar design no exterior

Se você pretende conseguir uma bolsa

Nesse caso, saber inglês será mesmo um importante requisito para concorrer à bolsa de estudos. Na verdade, poderá ser até mesmo um caráter eliminatório diante dos demais concorrentes.

Todo o processo para conseguir uma bolsa de estudos em uma faculdade no exterior demanda algumas etapas. E uma delas pode até ser uma entrevista em inglês. Já pensou?

Ou seja, se você pretende estudar design no exterior concorrendo a uma bolsa de estudos, é bom que esteja bem preparado. O curso de inglês funcionará também como uma ótima forma de vender seu peixe. Seja como uma referência ou mesmo auxiliando você ao longo do processo de documentação exigida pelas universidades estrangeiras.

As vantagens de saber inglês para estudar design

A verdade é que para estudar design, seja no Brasil ou no exterior, ter uma ótima base de inglês é muito importante. Afinal, muitos termos, informações (sejam artigos ou livros) e ferramentas (como programas de computador) estão no idioma. Portanto, investir no idioma anglo-saxão vai ser um diferencial para você enquanto estudante; e também depois, como profissional.

Se tiver a oportunidade de estudar inglês em algum país de língua inglesa antes de se lançar em um curso universitário, melhor ainda. Você verá que as possibilidades de mercado para você serão ainda maiores.

O que achou do post sobre estudar design no exterior? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe aqui nos comentários!

Top