Economia criativa: qual a importância para quem quer ser designer?

Economia criativa: qual a importância para quem quer ser designer?
14 de março de 2018 Belas Artes

economia criativa

A cada ano surgem no mercado novas expressões que nem sempre são bem compreendidas pela pessoas. Por exemplo, você sabe o que significa economia criativa? O que ela tem a ver com a área de design?

Provavelmente, você já tenha ouvido essa expressão no seu dia a dia, ainda mais se você quer ser um estudante de design ou se já ingressou na área. Mas, se a economia criativa ainda gera dúvidas e você não conhece a importância dela para quem quer ser um designer, separe alguns minutinhos e confira este post até o fim!

O que é economia criativa?

Antes de mostrarmos a importância da economia criativa para quem quer ser um designer, vamos apresentar o significado dessa expressão. De acordo com a definição apresentada pelo Sebrae em 2016, economia criativa é um termo criado para nomear modelos de negócio ou gestão que se originam em atividades, produtos ou serviços desenvolvidos a partir do conhecimento, criatividade ou capital intelectual de indivíduos com vistas à geração de trabalho e renda.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), a economia criativa se tornou uma poderosa força transformadora no mundo atual, uma vez que esta possui força suficiente para impactar de maneira positiva o indivíduo ou grupo de indivíduos que nela estão inseridos.

economia criativa

Veja como a economia criativa é importante para o designer

Agora que conhecemos as principais definições da economia criativa, vamos entender um pouco mais sobre a sua importância na área de design. Um dos papéis que o designer assume assim que começa o seu trabalho é o de criar produtos com foco no aprimoramento dos aspectos funcionais, ergonômicos e visuais dessas peças.

Com isso, o designer precisa conhecer e atender as necessidades dos consumidores, fornecendo a eles mais segurança, conforto e, consequentemente, mais satisfação. Dentro da economia criativa, o designer é responsável pela junção do poder criativo, com o talento, novas técnicas e tecnologias; Assim, o profissional conseguirá elevar o capital intelectual e cultural da área como um todo.

Se você está se perguntando: como a economia criativa impacta na área de design? A resposta é simples! A união do design com a economia criativa tem como resultado final o desenvolvimento de produtos, sistemas e serviços mais funcionais e mais competitivos para o mercado.

Outro ponto positivo dessa junção é que as pequenas e médias empresas costumam ser bastante beneficiadas com a economia criativa ligada ao design. Podemos ver esse impacto significativo da economia criativa por meio dos números apresentados pelo PIB (Produto Interno Bruto). No Brasil, o segmento da economia criativa gera uma receita de cerca de R$ 100 bilhões por ano, representando aproximadamente 3% do PIB. O setor emprega cerca de 800 mil pessoas com carteira assinada.

E você, ainda tem alguma dúvida sobre economia criativa e a sua importância para quem quer ser um designer? Caso tenha ficado tudo bem claro para você, nós te convidamos para conhecer um pouco mais sobre os diversos cursos de design, que tal? Em nosso blog,  apresentamos 4 dicas para você escolher a área  do design que mais tem a ver com o seu perfil.

 

Top