Vou aprender sobre economia criativa estudando moda?

Vou aprender sobre economia criativa estudando moda?
12 de fevereiro de 2018 Goomark Publicidade

Ao estudar design de moda não se aprende somente a arte do desenho e da costura para criar belas coleções a fim de desfilar pelas passarelas do mundo fashion. Existe muito mais por trás disso, como a economia criativa.

Uma universidade com uma boa matriz curricular, vai oferecer também disciplinas com enfoque no empreendedorismo e no mundo dos negócios. Buscando oferecer ao mercado profissionais conscientes, atualizados e aptos a encarar os desafios da rotina profissional.

Se você ainda não sabe o que é a economia criativa, continue a leitura e fique por dentro!

O que é economia criativa?

A economia criativa é uma grande relação entre inovação, sustentabilidade, criatividade, tecnologia e economia. É a união dos valores econômicos e dos valores criativos com o objetivo de gerar impacto social, riquezas e trazer diversidade. Ou seja, é focada no indivíduo ou coletivo que produz bens e serviços criativos.

O conceito de economia criativa ainda é relativamente novo, por isso não se tem uma definição concreta para o termo, mas segundo Gloria Kalil, não é lá muito complicado “mas muito novo e moderno: é a economia que não se produz com matérias-primas perecíveis, como petróleo, minerais, gás, mas com valores intangíveis (mas muito concretos) como marcas, design, criatividade e beleza.”

Fala-se sobre utilizar a ciência da produção, distribuição e consumo de bens e serviços, a economia. Aliada a capacidade de criar algo novo ou transformar algo já existente, com a criatividade.

A economia criativa gera renda, impulso de desenvolvimento local, regional e/ou nacional, através de sua base que é o capital intelectual.

Por que a economia criativa é importante?

A economia criativa abrange 14 segmentos, dentre eles está a moda. De acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), esse novo formato de indústria, de design e inovação dentro do setor da moda, representa cerca de 2,6% do PIB brasileiro, que é estimado em R$ 155,6 bilhões.

economia criativa

O design de moda está entre as 5 profissões criativas que mais cresceram entre o período de 2013 a 2015, segundo o mapeamento da Firjan, relacionada à agregação de valor e valorização do consumidor.

Alguns pontos importantes da economia criativa são: a capacidade de geração de empregos, valorização da cultura local, reavivar áreas urbanas decadentes, preservar o patrimônio cultural do país, sustentabilidade, inovação e tecnologia, entre outros.

Como posso aplicar a economia criativa nas minhas criações?

Um incentivo para aplicar a economia criativa nas criações de moda é a utilização de artesãos, por exemplo. O valor cultural e impulso econômico e social agregado a peças produzidas por micro e pequenos empreendedores regionais ou locais, em conjunto com estilistas traz diferencial e inovação para marcas.

A sustentabilidade é um ponto forte e podemos citar o upcycling, com o reaproveitamento de materiais e soluções inteligentes para matérias-primas na hora de criar novas coleções. E aí, podemos abordar também o tema da economia circular, na qual os produtos são pensados desde a sua produção até o seu descarte para serem ambientalmente responsáveis.

Diversos designers de moda estão surgindo no mercado com propostas inovadoras que apostam em abordagens de moda vegan e sustentável, muito cool e cheias de estilo.

Existem diversas maneiras de aplicar a economia criativa ao mundo da moda. Aproveitar a produção local ao realizar eventos, por exemplo. Pois gera impulso e desenvolvimento social e na economia local.

Na hora de escolher um curso de moda, certifique-se de que a matriz curricular inclua disciplinas que abordam negócios e explorem com afinco a criatividade e o empreendedorismo. É importante estar por dentro das novidades que estão surgindo no mercado, como a economia criativa, principalmente quando o setor escolhido, no caso a moda, está inserido nesse cenário de inovação.

O que você acha da economia criativa, já conhecia? Como você aplicaria no mercado da moda? Conte-nos através dos comentários.

 

Top